DILMA CAIU PORQUE NÃO COMPROU OS PICARETAS QUE SE VENDERAM A TEMER

Em 17 de abril do ano passado, quando Eduardo Cunha, hoje condenado a 15 anos e quatro meses de prisão, aceitou o pedido de impeachment sem crime de responsabilidade contra a presidente legítima Dilma Rousseff, o escritor português Miguel Sousa Tavares definiu a sessão como “a assembleia de bandidos presidida por um bandido”; neste 2 de agosto, o golpe dos corruptos cumpriu mais uma etapa, na sessão que arquivou a acusação contra Michel Temer por corrupção passiva; o custo da operação foi de R$ 17 bilhões e envolveu a compra de deputados no próprio plenário; hoje, 473 dias depois de um golpe que transformou o Brasil na maior república bananeira de todos os tempos, o País se condena a ser governado pelo crime.

 

247 – O golpe dos corruptos contra a presidente honesta Dilma Rousseff, que já produziu 13,5 milhões de desempregados, reduziu o PIB nacional em mais de 10% e gerou um rombo fiscal da ordem de R$ 160 bilhões em doze meses, cumpriu mais uma etapa nesta quarta-feira 2.

Numa sessão infame, a Câmara dos Deputados arquivou a acusação contra Michel Temer, aprovado por apenas 4% dos brasileiros e primeiro ocupante da presidência da República formalmente denunciado por corrupção.

Temer, como todos sabem, foi flagrado nos grampos da JBS dando aval à compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha e nomeando o assessor Rodrigo Rocha Loures, flagrado com uma mala de R$ 500 mil, como seu homem de confiança.

A vitória de Temer custou caríssimo ao País. Além dos R$ 4 bilhões em emendas distribuídas aos deputados apenas no mês de julho, Temer perdoou dívidas de empresários e ruralistas, numa farra que, segundo a agência alemã de notícias Deutsche Welle, custará R$ 17 bilhões ao País. Ao mesmo tempo, para pagar as contas da compra de deputados, Temer promoveu o maior da gasolina nos últimos treze anos. Ou seja: repassou aos brasileiros a fatura da compra de parlamentares corruptos.

Esta foi a segunda sessão decisiva para a transformação do Brasil na maior república bananeira que já se viu na face da Terra. A primeira ocorreu em 17 de abril do ano passado, quando Eduardo Cunha, hoje condenado a 15 anos e quatro meses de prisão, aceitou o pedido de impeachment sem crime de responsabilidade contra a presidente Dilma.

Tudo isso demonstra que Dilma caiu apenas porque não comprou os picaretas que se venderam a Temer. Detalhe: em dezembro de 2014, último ano em que Dilma conseguiu efetivamente governar, a taxa de desemprego era de 4,8%. Hoje, é de 13,5%. Com o Brasil sequestrado pelos regime mais corrupto de sua história, nada indica que a situação política, econômica e social vá melhorar.

Adicione um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*