Eleitor é quem vai dizer se ‘aprova’ ou não Lula, diz Temer

Em entrevista ao site “Poder360” presidente diz que ‘não tem nenhum fator negativo’ a participação de Lula na eleição de 2018.

BRASÍLIA – O presidente Michel Temer, em defesa do sistema democrático, avalia que “não tem nenhum fator negativo” a participação do ex-presidente Lula na eleição de 2018. Apesar da indefinição dos candidatos, o presidente disse em entrevista ao site “ Poder 360” que há uma “serie de condicionantes” para a disputa de Lula e que é o eleitor que deve dizer se “aprova”.
— É positivo se o Lula participar, se o João da Silva participar, se o José das Abóboras participar. Quantos queiram participar. Acho que não tem nenhum fator negativo — disse o presidente, ressaltando que é uma decisão que o próprio Lula tem que tomar.

Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro e pode ficar fora das eleições se o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirmar a decisão.

Sobre o argumento que seria “um trauma para uma parcela da população” que o ex-presidente não participasse do pleito, Temer respondeu:

— Eu acho o seguinte. Nós estamos num sistema democrático pleno. Ninguém pode negar. As instituições estão funcionando plenamente. Isto é importante dizer. Tem repercussão internacional. Quando vejo gente falando mal do Brasil, eles não se apercebem que isto cria um clima negativo para o país. Você divide os brasileiros. Acho que nós não temos que fazer isso. Então num sistema democrático, quem quiser se habilita, se candidata. O eleitor é que vai dizer se aprova, se não aprova.

Sobre o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), Temer não evitou responder que juízo faz a respeito do ´pré-candidato.

— Quem tem que ter juízo é o povo. O povo é quem vai dizer quem deve ocupar o poder. No momento certo, quando eu for participar, se eu vier a participar de uma campanha eleitoral, aí eu direi.

ALIANÇAS

O presidente disse que se “enxerga” como presidente da República até 31 de dezembro de 2018. Sobre uma possível aliança entre PMDB, DEM e PSDB, para Temer vai depender muito das “ circunstâncias políticas do ano que vem”. O presidente elogiou o prefeito de São Paulo, João Doria, e o governador Geraldo Alckmin.

— O Doria é uma figura muito adequada ao Executivo. Extraordinário. Sempre se revelou assim na atividade empresarial e agora cuida da Prefeitura de São Paulo. Quais são suas intenções? Não sei. Mas ninguém pode impedi-lo eventualmente de ser candidato.

— Não tenho nenhuma queixa sobre o governador Alckmin. Acho que ele faz um bom trabalho em São Paulo. E tem tido de nós, do governo federal, todo o apoio. Nós não temos nenhuma objeção. Ele esteve várias vezes comigo. De igual maneira o Doria.

 

Adicione um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*